Irena Sendler, uma heroína desconhecida

Um amigo me enviou um e-mail divulgando a a história de Irena Sendler (14/02/1910-12/05/2008), uma assistente social que fez parte do subsolo polonês durante a Segunda Guerra Mundial e foi presa pelos nazistas por ter salvo a vida de cerca de 2500 crianças judias contrabandeando-as para fora do gueto de Varsóvia.

Fiz algumas pesquisas e encontrei o filme The Courageous Heart of Irena Sendler (2009)

Capa do DVD

Em 1942, os nazistas criaram um gueto em Varsóvia e Irena, horrorizada pelas condições em que ali se sobrevivia, uniu-se ao Conselho para a Ajuda aos Judeus, Zegota. Ficou conhecida como “o anjo do Gueto de Varsóvia,” foi uma ativista dos direitos humanos que levava alimentos, roupas e medicamentos às pessoas barricadas no gueto, com risco da própria vida.

Consegui, para mim e minha companheira Irena Schultz, identificações do gabinete sanitário, entre cujas tarefas estava a luta contra as doenças contagiosas. Mais tarde tive êxito ao conseguir passes para outras colaboradoras. Como os alemães invasores tinham medo de que ocorresse uma epidemia de tifopermitiam que os polacos controlassem o recinto.” Ela mesma contava.

Irena vestida de enfermeira

Irena conseguiu uma autorização para trabalhar como especialista de canalizações, assim fazia contato com as famílias oferecendo ajuda para levar filhos e netos com ela para fora do Gueto. Ao longo de um ano e meio, até à evacuação do gueto, conseguiu resgatar mais de 2500 crianças por várias vias: começou a recolhê-las em ambulâncias como vítimas de tifo, mas logo se valia de todo o tipo de subterfúgios que servissem para os esconder: sacos, cestos de lixo, caixas de ferramentas, carregamentos de mercadorias, sacos de batatas,  caixões. Nas suas mãos qualquer elemento transformava-se numa via de fuga.   Trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e num saco de  sarapilheira na parte de trás da sua caminhoneta, para crianças maiores. Levava na parte de trás da caminhoneta um cão a quem ensinara a ladrar aos soldados quando entrava e saia do Gueto. Desta forma os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar servia para encobrir qualquer ruído que as crianças pudessem fazer.

Por fim os nazistas souberam dessas atividades e em 20 de Outubrode 1943 Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para  prisão de Pawiak, onde foi brutalmente torturada.

Num colchão de palha encontrou uma pequena estampa de  Jesus Misericordioso com a inscrição: “Jesus, em Vós confio”, e conservou-a consigo até 1979, quando a ofereceu ao Papa João Paulo II.

Ela era a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou-se a trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Já recuperada, foi no entanto condenada à morte. Enquanto esperava pela execução, um soldado alemão levou-a para um “interrogatório adicional”.

Ao sair, gritou-lhe em polaco: “Corra!”.

Esperando ser baleada pelas costas, Irena contudo correu por uma porta lateral e fugiu, escondendo-se nos becos cobertos de neve até ter certeza que não fora seguida.

No dia seguinte, já abrigada entre amigos, Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados que os alemães publicavam nos jornais. Os membros da organização Zegota (Resgate) tinham conseguido deter a execução de Irena subornando os alemães e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa.

Crianças e mulhers presas

As crianças só a conheciam pelo apelido de “Jolanta”.

Anos mais tarde, quando a sua história saiu num jornal com sua foto antiga, diversas pessoas entraram em contato: “Lembro de seu rosto… sou um daqueles meninos, lhe devo a minha vida, meu futuro, e gostaria de vê-la!”

Está heroína é desconhecida fora da Polônia e apenas reconhecida no seu país por poucos historiadores devido ao obscurantismo comunista que havia apagado sua façanha dos livros de história oficiais, mas graças a um grupo de alunos do Kansas, através de um trabalho de conclusão de curso sobre os Heróis do Holocausto, sua história começou a ser conhecida.

Foto de Irena aos 97 anos

Aos 98 anos residia em um asilo em Varsóvia num quarto cercado de flores e cartões de agradecimento de sobreviventes e filhos destes em sua honra.

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=opc0yAhbVNk

Fontes:
http://is.gd/q0Owbh 
http://is.gd/8POTYS 
http://is.gd/Oeemx3 
http://is.gd/LKHm9M 
http://is.gd/X2zMyd 
http://is.gd/NqtgYA

Deixe um comentário

Arquivado em Curiosidades

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s