Arquivo do mês: agosto 2011

Quatro erros que as pessoas cometem quando buscam um emprego na web

Achei interessante estas dicas para quem busca trabalho.

A internet facilitou o trabalho para quem quer buscar um novo emprego. Hoje, existem diversos sites específicos que mostram as vagas disponíveis no mercado, além disso, as redes sociais servem, cada vez mais, para divulgar oportunidades de trabalho.

A jornalista especializada em carreira e colunista do Wall Street Journal, Elizabeth Garone, alerta que as pessoas precisam evitar alguns erros que são comuns a quem busca um emprego pela internet. A seguir, a especialista cita os quatro equívocos mais frequentes cometidos pelos internautas:

1. Deixar de lado as boas maneiras

As pessoas não podem esquecer de que tudo o que elas escrevem na internet – em sites, blogs, redes sociais, entre outros – pode ser facilmente buscado, inclusive pelos recrutadores, quando eles procuram referências para um candidato a uma vaga de emprego na web. Elizabeth lembra que um estudo da Microsoft, divulgado em dezembro de 2009, mostrou que 79% dos profissionais que cuidam de recrutamento e seleção nas empresas procuram informações online sobre quem se candidata a uma vaga.

Com base nisso, em momento algum, as pessoas podem esquecer as boas maneiras na internet, seja por meio de comentários inapropriados, fotos e vídeos com imagens inadequadas ou detalhes sobre a vida pessoal que possam ser prejudiciais no ambiente de trabalho. Os principais problemas ocorrem quando os indivíduos escrevem na web coisas que não falariam em público – como piadas racistas ou de conteúdo sexual -, achando que estão em um ambiente protegido.

2. Não divulgar informações suficientes

Ter um perfil em uma rede social, só com metade das informações preenchidas não serve para nada mais do que irritar quem o acessa, avisa a jornalista. Assim, os profissionais que querem ser facilmente achados em ambientes como LinkedIn ou Facebook devem perder algum tempo para escrever um perfil nas redes sociais, o mais detalhado possível.

Além disso, ter uma rede de contatos online qualificada dentro de uma determinada área profissional pode servir como chamariz para potenciais recrutadores. Em outras palavras, não basta apenas estar na rede social, é necessário ser ativo para conseguir conexões interessantes.

De acordo com Krista Canfield, porta-voz do LinkedIn, os profissionais que têm um perfil completo e mais de 35 contatos apresentam 40 vezes mais chances de receber oportunidades de emprego pela rede social.

3. Ser generalista

Antes de encaminhar o currículo para uma vaga de emprego divulgada na internet, o profissional precisa ter o cuidado de entender quais os requisitos necessários para a função e escrever uma carta de apresentação que o qualifique ao trabalho.

O que acontece na prática, no entanto, é que pela facilidade de encontrar vagas online, as pessoas enviam currículos para diversas oportunidades, de forma genérica. O que fica perceptível também para quem está fazendo o recrutamento e seleção.

Também em relação a ser generalista, os profissionais que se encontram desempregados costumam omitir essa informação nas redes sociais. O que é um erro, segundo Elizabeth, em especial, pelo fato de que boa parte das pessoas conseguem um novo emprego por meio de indicações.

4. Ficar concentrado apenas na internet

Por mais que a web tenha facilitado a busca por um novo emprego, a rede de contatos pessoais ainda é o caminho mais rápido para a recolocação. Assim, quem quer ser contratado por uma empresa não pode apenas mandar currículos ou acessar as redes sociais e achar que isso é suficiente.

O caminho para cultivar essa rede de contatos – na vida real – é participar de eventos, estimular encontros informais com profissionais que atuem no mesmo setor e, até mesmo, buscar ajuda ou dicas de pessoas que estejam em áreas correlatas.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/negocios/digital_news/noticias/quatro_erros_que_as_pessoas_cometem_quando_buscam_um_emprego_na_web

Deixe um comentário

Arquivado em Outros

Como recuperar seu notebook em caso de roubo

Algumas notícias circularam pela imprensa sobre pessoas que recuperaram o notebook depois de roubado.  Alguns exemplos:
http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5280749-EI15607,00-Dono+de+notebook+recupera+aparelho+roubado+com+acesso+remoto.html

http://protecaototal.pop.com.br/blog/hacker-recupera-seu-notebook-roubado-em-londres/

http://www.oficinadanet.com.br/noticias_web/2433/backup-online-ajuda-a-achar-ladrao-de-notebook

No Olhar Digital ( http://t.co/52CPxMk) tem uma matéria legal, para assistir ao vídeo click no link.

Cammster: software gratuito transforma sua webcam em uma câmera de segurança
Ferramenta toca alarme e envia diversas fotos para o seu e-mail, que podem até servir como prova em caso de assalto

Essa é uma maneira de você se manter protegido sem precisar comprar uma câmera de segurança. Com um computador e uma webcam, você passa a ter controle sobre tudo ao seu redor. E é super fácil de usar.

Faça o registro, selecione “Run Cammster” e permita que o site ligue a sua webcam. Na tela você vê o que a câmera está registrando. Na barra localizada embaixo da tela, você regula o grau de sensibilidade da câmera. Quanto mais para a esquerda você deixar, mais sensível será o sensor. Ou seja, mesmo o menor movimento em frente à tela vai acionar o alarme. Ajuste o detector e agora escolha daqui quantos minutos você quer que o Cammster entre em ação. Você pode iniciá-lo após 1 ou 10 minutos, basta empurrar a seta para a direita e definir o tempo exato.

Assim que o período que você estipulou acabar, o site aciona seu detector, e qualquer coisa que se mova na frente vai acionar o alarme. Além do computador emitir o barulho, centenas de fotos serão tiradas e enviadas para você no seu email, com horário e dia exatos. Dessa forma, você pode ter um registro do que aconteceu na hora H, que pode, eventualmente, até servir como prova de algum assalto, por exemplo. É super eficiente.

Se você quer manter sua casa, loja ou qualquer estabelecimento mais protegidos, esse serviço é uma ótima. Especialmente porque é totalmente gratuito! O link para para a ferramenta, você já sabe, está à sua espera aqui nesta página.

Eu me cadastrei no site do Cammster (http://cammster.com/), foi simples e rápido. Fiz alguns testes e funcionou perfeitamente.

Fonte: http://t.co/52CPxMk

 


 


Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia da Informação

Verdades e mentiras sobre os DVDs

Muito clara e útil estas dicas mostradas no Olhar Digital (assista ao vídeo clicando no link). Quem ainda não sofreu ao perder dados de algum CD o DVD… Quando isto acontece, a gente tenta de tudo para limpar a mídia e tentar salvar algumas coisas, pena que quase nunca funcione.

Ainda muito utilizado por quem precisa fazer backup de arquivos, os DVDs trazem muita dor de cabeça pela facilidade de perda dos dados; veja como cuidar bem do seu conteúdo digital e evitar dores de cabeça.

Eles chegaram para substituir as antigas fitas VHS e os disquetes. Mas, nem sempre a história acaba bem…. Veja o caso do Evandro. Ele é administrador de redes e um dia teve que fazer backup de alguns e-mails antigos da empresa em um DVD. Aí…

“Nós acabamos perdendo um grande período de anos de mensagens que fizemos o backup dentro do DVD e, devido a esse problema, nós tivemos um período de mais ou menos 4 anos de mensagens perdidas, informações muito importantes”, relata o administrador de Redes, Evandro Cesar.

Mas você deve se perguntar: “por que é tão fácil o conteúdo do DVD simplesmente sumir?”

“Principalmente pela qualidade da mídia. Infelizmente, embora você tenha um formato único que é o DVD, nós não podemos garantir que os fabricantes utilizem o mesmo material para gravação, então esse é um dos fatores principais. Outros fatores que concorrem para essa perda de dado são a qualidade do equipamento de gravação, o equipamento que faz a leitura, a taxa de transferência que esses dados vão chegar na mídia a ser gravada, e uma série de outors fatores”, explica o Profº Luciano Silva, da Faculdade de Computação e Informática do Mackenzie.

O processo de gravação de um DVD pode ser explicado de uma maneira bem simples. Imagine o DVD como se fosse um disco de vinil. Só que ao invés da agulha, são raios laser vermelhos que lêem e também gravam as informações. Ao invés de sulcos, são saliências que representam os zeros e uns, dispostos em forma de espiral. E cada uma das trilhas tem apenas 740 nanômetros. Se a gente pudesse arrancar a trilha de dados de um DVD e esticá-la em uma linha reta, ela teria quase 12 quilômetros de comprimento! Você consegue pensar que uma estrutura dessas seria capaz de armazenar tantas informações?

E a velocidade da gravação é um fator que pode definir se os dados serão transferidos integralmente ou não. Tá vendo esse número aqui? Ele indica a velocidade mais segura para você fazer a gravação do DVD em cada um dos aparelhos. Alguns mostram 8x, outros exibem 16x e há os que sugerem velocidade entre 1x e 8x, por exemplo. É bom seguir as recomendações do fabricante para garantir a melhor qualidade de gravação.

“Se você tem um equipamento que está configurado com a gravação máxima de 4x, e você tentar fazer uma gravação em 16x, provavelmente o dado vai ser gravado de forma incorreta. Isso acontece porque você tem que compatibilizar a velocidade de rotação que você tem do equipamento de gravação, junto com a velocidade de gravação do laser”, esclarece Luciano Silva.

E sabe aquelas receitinhas caseiras para limpar o disco, como passar um pouco de água e um paninho em cima? Ou então esfregar a mídia com detergente? Acredite, é melhor esquecer esses conselhos!

“Inclusive, qualquer coisa, casca de banana, já vi pessoas limpando com laranja… você tem, na realidade, uma série de ácidos ali que podem contribuir para o desgaste mais rápido daquela mídia”, conta o professor.

Não existe ao certo uma data de validade de um DVD, conforme constatou o Centro Nacional Francês de Pesquisa. Mas, os cientistas comprovaram a instabilidade dessa mídia, que pode armazenar corretamente suas fotos e vídeos por dez anos, ou pode perder todo o conteúdo em apenas alguns meses. O pior é que isso não tem a ver com a marca. Na pesquisa francesa, discos da mesma marca tiveram comportamentos bem diferentes.

Então, a melhor coisa a fazer é pecar pelo excesso, como faz agora o Evandro. Hoje ele dispensou os DVDs e passou a ter mais de um lugar para backup.

“Além de ter dois HDs em casa, que de tempos em tempos eu faço uma cópia, eu possuo um Storage, que é um HD externo”, conta Evandro.

As dicas estão aí, agora, provavelmente você terá menos dor de cabeça no futuro.

Parece que uma solução está próxima, em outra reportagem mostram um novo tipo de DVD capaz de guardar informações “para sempre”.

Novo DVD da Melleniatta

Disco desenvolvido pela Milleniatta é mais resistente e consegue guardar as informações para sempre.

Os M-Disc, da Milleniatta, parecem DVDs comuns. Eles têm 4.7GB de capacidade de armazenamento e podem ser lidos em drives tradicionais de DVD, mas possuem uma grande vantagem: os dados ficam permanentemente gravados dentro dos discos, segundo o Endadget. Isso é possível porque, ao invés dos dados serem “queimados” na superfície, no caso do Milleniatta, eles são “esculpidos” no disco. Assim, os arquivos não podem ser corrompidos com o tempo.

Desenvolvido para empresários, fotógrafos, arquivistas, genealogistas ou qualquer um que tema perder algumas informações para sempre, os discos também são mais resistentes que os DVDs comuns e não degradam com o tempo.

A Milleniatta afirma que está trabalhando em uma versão Blu-ray do M-Disc que deve ser anunciada nos próximos meses.

O lançamento do M-Disc será em outubro deste ano. Um disco avulso custará US$ 2,99, enquanto o pacote com 5 unidades sairá por US$ 13,89 e com 10 por US$ 26,59.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=rSl0chtzf6U

Fonte:
http://olhardigital.uol.com.br/produtos/central_de_videos/verdades-e-mentiras-sobre-os-dvds
http://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/informacoes_talhadas_na_superficie_um_dvd_que_nao_perde_dados_com_o_tempo 

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia da Informação

Brasil x Holanda

Nas cidades maiores as ruas geralmente são asfaltadas, mas no interior é diferente. Na minha cidade asfalto só se vê em rodovia, no mais as ruas são calçadas com paralelepípedos ou bloquetes de cimento.

Quando minha rua foi calçada, máquina só foi usada na terraplanagem e mesmo não era o equipamento adequado e um dos trechos foi feito totalmente a mão, devido a quebra. Fiz algumas fotos, veja uma delas a seguir:

Trabalhadores curvados calçando a rua

Já na Holanda é “ligeiramente” diferente, usam o Tiger-Stone que é uma máquina pavimentadora que pode produzir estradas de bloquetes que são colocados fazendo vários tipos de desenhos. A seguir vem um rastreador que aplica uma camada de areia, para calafetar. Todas as pedras são embaladas e juntas pela gravidade.

Máquina pavimentadora

Bob cat alimentando a máquina com blocos

Bob cat com blocos.

Detalhe dos blocos.

Bloquetes dentro da máquina

Trecho já pavimentado

Bloquetes são colocados calçando toda a largura da rua

Bob cat abastecendo a máquina com bloquetes

A medida que avança, segue outro equipamento para calafetar o calçamento.

Detalhe da máquina

Detalhe dos bloquetes

Máquina vista de outro ângulo

Equipamento para calafetar

Trabalhadores operando a máquina

Vista geral da rua

Assista ao vídeo e note a velocidade do trabalho, aqui na minha rua, calçavam uma média de 15 a 20 metros por dia e a rua é estreita!

 

http://www.youtube.com/watch?v=jkVBg_-OviI

Fonte: e-mail

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Curiosidades

Fotografia com grande alcance dinâmico

É muito comum vermos fotos tiradas contra a luz onde as pessoas ficam escuras e o fundo normal, ou o contrário, dependendo da situação. Nestes casos, um recurso que ajuda muito, que é usar o flash simultaneamente, mesmo durante o dia, com sol.

Fotografia de grande alcance dinâmico, ou simplesmente HDR (High Dynamic Range), é uma técnica que utiliza várias fotos, com diferentes exposições para criar uma imagem equalizada com base na informação de duas fotografias distintas. O resultado é uma imagem que possui uma grande amplitude e revela os todos detalhes de ambas as imagens.

Para quem usa o Photoshop, basta que possua duas imagens idênticas, uma exposta para as sombras e outra exposta para as altas luzes. O programa fará então a combinação das duas para que seja criada a tal imagem média.

A seguir veja algumas imagens impressionantes elaboradas através da técnica de HDR. Poderão ser todas encontradas no Flickr (Clique nas imagens para uma versão ampliada).

 

 

 

Pool de fotografias em HDR no Flickr

Fonte: 
http://obviousmag.org/archives/2008/01/as_maravilhosas.html#ixzz1Ucgdx9nL

Deixe um comentário

Arquivado em Curiosidades, Outros, Tecnologia da Informação

Preconceito – os dois lados da moeda

Ives Gandra da Silva Martins

 O texto à seguir é atribuído a Ives Gandra da Silva Martins, professor emérito das universidades Mackenzie e UNIFMU, da Escola de Comando e Estado do Exército e presidente do Conselho de Estudos Jurídicos da Federação do Comércio do Estado de São Paulo. Não consegui localizar uma prova que tenha sido realmente escrito por ele, tampouco uma declaração dele em qualquer ponto da Internet que negasse tal autoria.

Antes assista ao vídeo, principalmente a segunda parte e veja a hipocrisia do brasileiro:

http://www.youtube.com/watch?v=jPG-N8aiKpQ

Se somos todos iguais perante a Lei, porque criar guetos sociais? O Brasil sempre foi conhecido por não alimentar ódios internos e, agora, há quem odeie porque foi preterido na escolha por um detalhe físico, por um detalhe comportamental, por um detalhe de origem.

Pergunto: é normal duas pessoas  de qualquer sexo se beijarem em locais público? Penso que se deve ter um comportamento adequado a nossa sociedade e deixar os beijos e afetos excessivos para os lugares reservados ou suas casas.

Antes de ter conotação jurídica, Família é um sentimento, uma realidade natural, chegando até o casamento ter status de sacramento para a Igreja Católica. Vivemos em um delicado momento da sociedade onde a família, que é a base da sociedade – art. 226 CF/88, se vê frágil como nunca, bastando observar-se o grande e crescente número de divórcios, crianças mandando em seus pais e os maltratando, drogas e alcoolismo destruindo o cerne das famílias, além de um sem fim de violências de todas as ordens. Não é admissível a intolerância de quem quer que seja, de pessoas que optem pela homossexualidade ou porque são de outra etnia.

Em São Paulo foi aprovado (falta sanção do prefeito) o projeto de lei 294/2005, que institui, no município de São Paulo, o Dia do Orgulho Heterossexual. Em breve a maioria de “incluídos” serão excluídos, para alegria das minorias, cada vez com mais direitos que o cidadão comum, que todos os Brasileiros deveriam ter.

Não sou a favor nem contra, muito pelo contrário… O que me chama a atenção é o fomento da rivalidade e discriminação, cada um que faça da sua vida o que achar melhor, mas sem ofender o direito do outro.

Para lembrar, como toda lei, a do Dia do Orgulho Hétero contém o artigo: “As despesas decorrentes da execução desta Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas, se necessário”.

Leia abaixo e tire suas conclusões.


      Hoje, tenho eu a impressão de que o “cidadão comum e branco” é agressivamente discriminado pelas autoridades e pela legislação infraconstitucional, a favor de outros cidadãos, desde que sejam índios, afrodescendentes, homossexuais ou se auto-declarem pertencentes a minorias submetidas a possíveis preconceitos.

Assim é que, se um branco, um índio ou um afrodescendente tiverem a mesma nota em um vestibular, pouco acima da linha de corte para ingresso nas Universidades e as vagas forem limitadas, o branco será excluído, de imediato, a favor de um deles. Em igualdade de condições, o branco é um cidadão inferior e deve ser discriminado, apesar da Lei Maior.

Os índios, que pela Constituição (art. 231) só deveriam ter direito às terras que ocupassem em 5 de outubro de 1988, por lei infraconstitucional passaram a ter direito a terras que ocuparam no passado. Menos de meio milhão de índios brasileiros – não contando os argentinos, bolivianos, paraguaios, uruguaios que pretendem ser beneficiados também – passaram a ser donos de 15% do território nacional, enquanto os outros 183 milhões de habitantes dispõem apenas de 85% dele.

Nesta exegese equivocada da Lei Suprema, todos os brasileiros não índios foram discriminados.

Aos “quilombolas”, que deveriam ser apenas os descendentes dos participantes de quilombos, e não os afrodescendentes, em geral, que vivem em torno daquelas antigas comunidades, tem sido destinada, também, parcela de território consideravelmente maior do que a Constituição permite (art. 68 ADCT), em clara discriminação ao cidadão que não se enquadra nesse conceito.

Os homossexuais obtiveram, do Presidente Lula e da Ministra Dilma Roussef, o direito de ter um congresso financiado por dinheiro público, para realçar as suas tendências, algo que um cidadão comum jamais conseguiria.

Os invasores de terras, que violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que o governo considera, mais que legítima, meritória a conduta consistente em agredir o direito. Trata-se de clara discriminação em relação ao cidadão comum, desempregado, que não tem este “privilégio”, porque cumpre a lei.

Desertores e assassinos, que, no passado, participaram da guerrilha, garantem a seus descendentes polpudas indenizações, pagas pelos contribuintes brasileiros. Está, hoje, em torno de 4 bilhões de reais o que é retirado dos pagadores de tributos para “ressarcir” àqueles que resolveram pegar em armas contra o governo militar ou se disseram perseguidos.

E são tantas as discriminações, que é de se perguntar: de que vale o inciso IV do art. 3º da Lei Suprema?

Como modesto advogado, cidadão comum e branco, sinto-me discriminado e cada vez com menos espaço, nesta terra de castas e privilégios.

Deixe um comentário

Arquivado em Filosofia, Outros, Política

Mais antigo metropolitano suspenso do mundo

Wuppertal ( 51.255871°,  7.149985°) é uma cidade  alemã localizada na região da Renânia do Norte-Vestfália. Situada às margens do rio Wupper, ao sul da Região do Ruhr. A cidade é um importante centro histórico-industrial que inclui fábricas de: têxteis, metalurgia, produtos químicos e farmacêuticos, equipamento elétrico, borracha, veículos e equipamento de impressão.

Durante a Segunda Guerra Mundial quase metade da cidade foi destruída, no entanto, um grande número de locais históricos foi preservado dos bombardeios, tais como o distrito de Ölberg (“Colina do Petróleo”), um dos maiores bairros de trabalhadores de toda a Alemanha, e também o chamado Briller Viertel, o maior distrito burguês da Alemanha.

Um dos atrativos turísticos é o seu monotrilho (conhecido como Wuppertaler Schwebebahn), inaugurado em 1901, que atravessa a cidade a 8 m de altura sobre as ruas e a 12 m de altura sobre o rio Wupper e tem a particularidade de ser o mais antigo metropolitano suspenso do mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O metropolitano suspenso de Wuppertal, foi concebido pelo engenheiro Anton von Rieppel por volta de 1890 e é uma das infraestruturas mais impressionantes ainda em funcionamento, se bem que com as adaptações necessárias às exigências de segurança atuais.

Em 1949 uma reportagem da revista LIFE, publicou fotografias realizadas por Charles E. Steinheimer, desde então Wuppertal ficou conhecida em todo o mundo. Considerando a época que foi construída, é sem dúvida uma obra visionária, insólita e deslumbrante.

http://www.youtube.com/watch?v=OPnKbSvHj6c

Fonte:
http://obviousmag.org/archives/2009/04/wuppertal.html#ixzz1UByAWXdw

 

Deixe um comentário

Arquivado em Curiosidades, Turismo