Síndrome de Tourette

Ontem assisti o filme  “Front of the Class” (Primeiro da Classe) que conta a história de Brad Cohen, um rapaz que sofre da Síndrome de Tourette.

Confesso minha ignorância, não sabia do que se tratava. Devo até ter lido alguma coisa, só que não dei a devida atenção. O filme mostra os muitos obstáculos de Brad Cohem para conseguir se tornar professor e finalmente vencer o preconceito.

A Síndrome de Tourette é uma desordem neurológica ou neuroquímica caracterizada por tiques involuntários, reações rápidas, movimentos repentinos ou barulhos com a boca,  que ocorrem repetidamente da mesma maneira. Esses tiques motores e vocais mudam constantemente de intensidade e não existem duas pessoas que apresentem os mesmos sintomas. A síndrome se manifesta na infância e juventude, eventualmente atingindo estágios classificados como crônicos. Porém, no decorrer da vida adulta, frequentemente, os sintomas vão aos poucos se amenizando e diminuindo. Mesmo assim, até hoje ainda não foi encontrada uma cura para a Tourette.

Os referidos tiques são movimentos bruscos involuntários que podem se manifestar em qualquer parte ou conjunto de partes do corpo, mas tipicamente eles ocorrem no rosto e na cabeça – no rosto em forma de caretas repetidas e na cabeça como um todo em forma de movimentos bruscos, repetidos, de lado-a-lado.

As vezes os surtos vocais são repletos de obscenidades, sintoma conhecido como coprolalia, me lembro de ter visto isto ser explorado no South Park faz pouco tempo. Na realidade, esse sintoma ocorre em menos de 15% dos portadores de Tourette.

Infelizmente a síndrome de Tourette não é tão rara quanto se pensa. Estima-se que uma pessoa em cada grupo de 100 sofra de uma forma moderada da síndrome e que cerca de 200 mil americanos tenham a forma mais grave. Os portadores da síndrome de Tourette não apresentam tiques nervosos constantemente, os espasmos, conhecidos como tiques motores, geralmente ocorrem em ataques intermitentes. Alguns pacientes têm esses espasmos diariamente, outros, com menos freqüência. Os tiques podem incluir ações como piscar os olhos, chutar e fazer caretas.

Assista a seguir o trailer de um premiado documentário produzido pela HBO, em conjunto com a TSA (Associação Americana de Síndrome de Tourette), no qual 12 crianças com síndrome de Tourette relatam as dificuldades que enfrentam no dia a dia para serem aceitas e compreendidas. A proximidade entre as dificuldades enfrentadas por estas crianças e as dificuldades enfrentadas por crianças com gagueira é inescapável.

http://www.youtube.com/watch?v=ou-KVmw05R4 (legendado)

Raramente uma pessoa que sofre desta síndrome consegue controlar um mínimo de seus tiques e jamais por prolongados períodos de tempo. O termo síndrome de Tourette foi concebido em 1885 pelo neurólogo francês Gilles de la Tourette. No video abaixo temos um trecho do filme Front of the Class. No início o personagem principal, Brad Cohen, conversa com o pai e em seguida vemos ele quando criança em um concerto na escola. Os barulhos e tiques que ele faz são involuntários, ou seja, ele não consegue controlar tais movimentos. Quando o diretor o chama no palco, o menino explica que tem a síndrome de Tourette, fala que não tem cura e que não consegue controlar os movimentos.

Use CC para colocar legendas – http://www.youtube.com/watch?v=nWvKjgClh_0

Brad Cohen tornou-se professor e recebeu o prêmio de melhor educador da Geórgia. Atualmente tem uma fundação que ajuda pessoas portadoras da síndrome de Tourette. – http://www.classperformance.com/

No Youtube existem vários vídeos do Brad Cohen, neste é entrevistado em uma reportagem: http://www.youtube.com/watch?v=6hkQCd_edaE

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Tourette
http://coisasboasenovas.blogspot.com/2010/07/sindrome-de-tourette.html
http://saude.hsw.uol.com.br/tourette.htm

3 Comentários

Arquivado em Bizzaro, Curiosidades, Saúde

3 Respostas para “Síndrome de Tourette

  1. Daniela

    Olá ,que bom que está divulgando esta síndrome,meu filho tem Tourette desde dos 5 anos (hoje com 12 anos). A divulgação facilita a diminuição do preconceito. Divido experiência pelo blog: http://www.vidacomtourette.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s