Coisas do espaço

A Discovery fez sua última viagem. Depois de 27 anos e 39 missões será preparada para ser exposta no museu Smithsonian de aviação nacional e espacial dos Estados Unidos.

Nesta última missão, entregou mais uma carga para a construção da Estação Espacial Internacional (ISS), começada a ser construída em 1998, o que mudou sua aparência com a adição de componentes que inclui o Leonardo Multi Purpose Logistics Module. Levou também toneladas de produtos e equipamentos científicos, incluindo um protótipo de robô humanoide construído em parceria com a General Motors.
A ISS e muitos de seus módulos e painéis solares expansivos são visíveis na foto, tomada pela tripulação do Discovery depois de sair da ISS para retornar à Terra.

Fonte: http://apod.nasa.gov/apod/ap110309.html

Os ônibus Endeavour e Atlantis terão suas missões finais em abril e junho, levando o detector de partículas Alpha, orçado em 2 bilhões de dólares, e produtos que irão manter a estação por um ano.

A Estação Espacial Internacional é um projeto de 100 bilhões de dólares entre 16 países e fica a 350 quilômetros da Terra.

Os EUA estão encerrando seu programa com ônibus espaciais após 30 anos devido aos altos custos operacionais e para abrir fundos para iniciar trabalhos em novas naves que possam viajar à Lua, asteróides e outros destinos além da órbita da Estação. O Congresso norte-americano, no entanto, ainda não alocou os recursos para os novos programas.

Os EUA dependerão agora do governo russo para enviar astronautas à estação, embora espere comprar viagens de empresas comerciais, caso alguma desenvolva tal capacidade.

Os envios de carga serão realizados por Rússia, Europa e Japão e por duas empresas norte-americanas,  a Space Exploration Technologies e a Orbital Sciences Corp.

Fonte: http://glo.bo/i1E1Te

Saiu no HyperScience as 6 coisas corriqueiras que acontecem de um jeito estranho no espaço.

1. Água fervendo

A água na Terra ferve e produz várias bolhas. No espaço apenas uma bolha gigante é produzida,  observe o vídeo e verá que são formadas várias bolhas, só que como não há gravidade, elas não acabam unidas numa só, aos poucos, ficando as demais ao seu redor até unirem-se também. A dinâmica dos fluidos é tão complexa, que cientistas não sabiam como a água fervia no espaço até 1992, quando um astronauta fez a experiência em uma nave.

Assista ao vídeo:

2. Chamas ficam esféricas

No espaço a chama da vela fica abaulada, devido à diferença de pressão. Na falta de gravidade o fogo encontra resistência igual em todas as direções, então se expande de forma esférica ao redor da sua fonte.

3. As bactérias se multiplicam mais e ficam mais perigosas

Trinta anos de experiências mostraram que as bactérias ficam mais velozes e furiosas no espaço. A Escherichia Coli, por exemplo, cresce com uma velocidade duas vezes maior e a Salmonella, que sofre alterações genéticas no espaço, fica três vezes mais perigosa, causando doença com frequência maior.

4. Arrotar refrigerante é impossível

Como não há gravidade, as bolhas de bebidas como refrigerante e cerveja ficam estagnadas na garrafa ou na barriga do astronauta, sem subir. Mas não veja isso como uma coisa boa. Como as bolhas ficam dentro do sujeito, tomar refrigerante no espaço é algo extremamente desconfortável.

5. Flores têm perfumes diferentes

As flores produzem componentes aromáticos diferentes no espaço, logo seu cheiro não é o mesmo. Isso porque os óleos essenciais produzidos pelas plantas são afetados por fatores externos, como a temperatura e a umidade. Se você quer sentir aroma espacial, compre o perfume Zen, da Shishieido, que analisou rosas criadas no espaço e replicou seu perfume. (Não sei se é verdade porque não encontrei no site da Shishieido)

6. As pessoas suam mais

Como não há convecção natural, a água não evapora e o calor não sai do seu corpo de forma tão fácil. Pior: o suor se acumula na sua pele e tudo vai ficando cada vez mais úmido e pegajoso.

1 comentário

Arquivado em Outros

Uma resposta para “Coisas do espaço

  1. Alessandro

    Uma vez fiz uma apresentação na faculdade falando sobre os efeitos do micro ambiente espacial sobre os astronautas. Um dos temas do seminário foram as descobertas feitas no espaço que tiveram aplicação na Terra. Por exemplo, técnicas para reduzir a atrofiação muscular e perda óssea nos astronautas que acabaram servindo no tratamento de pacientes com esse tipo de problema. Muitas pesquisas feitas lá foram importantes para a vida das pessoas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s