Arquivo do mês: janeiro 2011

Urso polar nada 687 quilômetros sem parar

O aquecimento global traz graves consequências para todo o planeta, afetando todos os seres vivos.
A retenção de calor na superfície terrestre pode influenciar fortemente o regime de chuvas e secas, afetando plantações e florestas, podendo causar o crescimento e surgimento de desertos, desequilíbrio de vários ecossistemas.
Plantações e cidades podem ser arrasadas por alagamentos. O movimento migratório de animais e seres humanos tende a aumentar, pode haver escassez de comida, aumento do risco de extinção de várias espécies animais e vegetais, aumento do número de mortes por desnutrição.
O aumento do nível dos oceanos está em curso, devido ao derretimento das calotas polares. Ao aumentar o nível da águas dos oceanos, podem ocorrer a submersão de muitas cidades litorâneas,.
Pode aumentar o número e intensidade de furacões, tufões e ciclones, regiões de temperaturas amenas já tem sofrido com as ondas de calor e o inverno tem sido mais intenso em algumas regiões do planeta.

Um urso polar, rastreado no norte do Alasca, nadou continuamente por nove dias, percorrendo uma distância de 687 quilômetros.

De acordo com os cientistas que observaram o animal, essa resistência incrível pode ser fruto das mudanças climáticas. Os ursos polares são conhecidos por nadar entre a terra e as geleiras em busca de alimento (focas, por exemplo). Mas com as mudanças climáticas o gelo está derretendo, o que força os ursos a nadarem maiores distâncias sem parar – arriscando a saúde deles e das próximas gerações de ursos.

Os dados obtidos mostram que o urso nadou por 232 horas seguidas, em uma água com temperatura entre 2 a 6 graus Celsius.

Apesar de ursos serem observados nadando por cientistas, é a primeira vez em que a jornada completa de um urso é acompanhada.

Mas a jornada custou muito para o urso, que era fêmea, e que perdeu cerca de 22% de sua massa corporal, além de seu filhote, que não conseguiu acompanhá-la. [BBC]

Deixe um comentário

Arquivado em Animais

Vídeos em alta definição (HD 1080p) – Paisagens espetaculares

Se tiver boa velocidade de banda larga, assista em HD ou faça o download pelo RealPlayer e assista depois sem interrupções.

Todos eles mostram cenários de grande beleza, gostei tanto que montei um DVD.


Trailer da série da BBC Human Planet
– Uma inspiradora série histórica que se maravilha com a incrível relação da humanidade com a natureza no mundo de hoje.: http://www.youtube.com/watch?v=2HiUMlOz4UQ

Surf em super câmera lenta:
http://www.youtube.com/watch?v=7BOhDaJH0m4

BBC Motion Gallery – As cerejeiras são um destaque: http://www.youtube.com/watch?v=BvuvgV3w33o

Nature Inspiration  America’s Beautiful West: http://www.youtube.com/watch?v=uG53Ce5_dI0

The Living Sea: http://www.youtube.com/watch?v=my3z9v6m2jM

BBC HD In Full Bloom: http://www.youtube.com/watch?v=wK1OqqeCg0w

Wonderful Chill Out Music – Maldives: http://www.youtube.com/watch?v=CjKU3HqpVdY

Wonderful Chill Out Music – New Zealand: http://www.youtube.com/watch?v=OeNs0z2l7s8&feature=related

Earth: http://www.youtube.com/watch?v=thuViaxRd_w&feature=related

Perfect Sunset: http://www.youtube.com/watch?v=_dJCLaoBZvM&feature=related

Beautiful Nature Scenary 2: http://www.youtube.com/watch?v=PtZ4uvaeK68&feature=related

Planet Earth – Angel Falls: http://www.youtube.com/watch?v=7q4YTpa3Bwg

Baraka HD (1080p)
É um filme de 1992, um documentário experimental dirigido por Ron Fricke, cinematografista de Koyaanisqatsi, o primeiro da trilogia Qatsi, de Godfrey Reggio. Frequentemente comparado a Koyaanisqatsi, o assunto principal de Baraka é, de fato, similar, incluindo filmagens de várias paisagens, igrejas, ruínas, cerimônias religiosas e cidades, misturando com vida, numa busca para que cada quadro consiga capturar a grande pulsação da humanidade nas atividades diárias.
O documentário foi filmado em 70 mm colorido em 23 países: Argentina, Brasil, Camboja, China, Equador, Egito, França, Hong Kong, Índia, Indonésia, Irã, Israel, Itália, Japão, Quênia, Kuweit, Nepal, Polônia, Arábia Saudita, Tanzânia, Tailândia, Turquia e EUA. Ele não contem diálogos ou cenas coesas, mas apenas imagens e som ambiente, conversas ou cantos, que podem ser considerados o narrador latente de uma intenção universal espiritual.

  1. http://www.youtube.com/watch?v=eOW5QB2ng48
  2. http://www.youtube.com/watch?v=eOW5QB2ng48
  3. http://www.youtube.com/watch?v=LAQzqYT3xfU
  4. http://www.youtube.com/watch?v=n0MqT4V0kgw
  5. http://www.youtube.com/watch?v=nHm190V_HeQ
  6. http://www.youtube.com/watch?v=z3QW4IoNEoc
  7. http://www.youtube.com/watch?v=yEH-GOb6VZc

8 Comentários

Arquivado em Curiosidades

Música à Capella

Música brasileira à capella – Grupo Vocal BR6

A qualidade da gravação dos vídeos no YouTube não são das melhores, mas o grupo é muito bom – Atente para a “percussão”.

O Grupo Vocal BR6 é um grupo a capella carioca formado por seis cantores – Crismarie Hackenberg (mezzo), Deco Fiori (tenor), Marcelo Caldi (tenor), Augusto Ordine (barítono), Simô (baixo) e Naife Simões (Percussão Vocal).
As canções interpretadas pelo grupo, formado por professores, músicos e arranjadores em atividade no Rio de Janeiro, são executadas sem a ajuda de instrumentos.
Em 2004, o primeiro disco do grupo, “MPB a Capella”, foi lançado nos EUA pelo selo “Primarily A Cappella”.
Na premiação The Contemporary A Cappella Recording Award 2005, considerado como o Grammy da música a cappella, concedido anualmente pela CASA (The Contemporary A Cappella Society), organização mundial de música a cappella, recebeu dois prêmios: melhor disco do ano na categoria Folk/World Album e com a melhor música do ano (“Disfarça e Chora”, de Cartola e Dalmo Castello), na categoria Folk/World Song.
“MPB a Capella” foi lançado no Brasil pela gravadora Biscoito Fino.
Em 2008, o BR6 voltou a receber o prêmio, desta vez na categoria Best Jazz Album, pelo disco “Here To Stay – Gershwin & Jobim”.

Leia mais sobre o grupo em http://www.vocalbr6.com/grupo.asp

Here to Stay – Gershwin & Jobim

Prêmio CARA 2008 – Best Jazz Album
Prêmio CARA 2008 – Runner-up Best Jazz Song
Prêmio RARB Picks of The Year 2007 – Best Album

Música Popular Brasileira A Cappella

Prêmio CARA 2005 – Best Folk/World Album
Prêmio CARA 2005 – Best Folk/World Song

Música Popular Brasileira A Cappella Vol. II

Prêmio CARA 2010 – Best Folk/World Album
Prêmio CARA 2010 – Best Central/South American Album

Vídeos do BR6 no YouTube

Tanta Saudade: http://www.youtube.com/watch?v=xivsJKQV1Vo
Chovendo na Roseira: http://www.youtube.com/watch?v=_7PxYxDGDh4
Perpetuum Jazzile & BR6 – Aquarela Do Brasil: http://www.youtube.com/watch?v=jmttwEHdfB0
Garota de Ipanema / The Girl From Ipanema: http://www.youtube.com/watch?v=xxERHwlQIwQ
Preciso Aprender a Ser Só: http://www.youtube.com/watch?v=LtcmipFM210
O Morro Não Tem Vez: http://www.youtube.com/watch?v=N2e3gph1NKo
Here do Stay: http://www.youtube.com/watch?v=BO2tJhsGV10
Water to Drink: http://www.youtube.com/watch?v=BO2tJhsGV10
Papagaio do Futuro/Fé na Perua : http://www.youtube.com/watch?v=8jQnWFKaLt8
Ando Jururu: http://www.youtube.com/watch?v=ruhgTO-tv70

Deixe um comentário

26/01/2011 · 10:46

A mais nova moda no Japão – dentaduras de LED

O bom gosto desse novo acessório, como boa parte da moda japonesa, é questionável, mas o fato é que essas dentaduras de LED são a mais nova febre do Japão.

Criado pelos designers Motoi Ishibashi e Daito Manabe, eles foram desenvolvidos como um experimento, para ser usado apenas em um comercial da coleção de inverno de uma famosa loja de roupas japonesa.

As dentaduras são fixadas nos seus dentes e a luz muda de cor quando você sorri.

Apesar de não estarem disponíveis para compra, Ishibashi e Manabe estão fazendo workshops pelo Japão, ensinando as pessoas a produzir sua própria dentadura de LEDs.

Vídeos no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=wcaQ5QWHJlM
http://www.youtube.com/watch?v=QsWc58zmBKI

[Oddity Central]

Deixe um comentário

26/01/2011 · 10:41

Transforme imagens e documentos digitalizados em texto usando o Free online OCR

Não é de hoje que a tecnologia OCR (Optical Character Recognition em inglês, Reconhecimento ótico de caracteres em português) existe, capaz de transcrever textos contidos em imagens e arquivos PDF. Entretanto, como a maioria dos programas que fazem uso desta são pagos, o OCR ficou quase insensível durante os anos, mas softwares gratuitos que utilizam o OCR e uma série de sites/serviços que oferecem a tecnologia estão pouco a pouco chegando, e um deles é o Free online OCR.

O Free online OCR consegue converter os formatos PDF, JPG, GIF, TIFF e BMP para texto com otimização de caracteres de acordo com a língua na qual o texto está escrito. Não entendeu? Vamos à um exemplo: você lê um livro escrito em português e quer digitalizar-lo para usar os textos presentes em algum trabalho escolar e para fazer isto utiliza um software OCR que converte imagens em texto em inglês, provavelmente você terá uma série de complicações quanto aos bugs presentes no resultado pelo fato da língua inglesa não utilizar acentos em sua gramática. Portanto, um texto convertido em português vem menos “bugado”.

 

Página inicial
Página inicial
Upload da imagem
Upload da imagem
Resultado da conversão
Resultado da conversão
Documento a ser convertido
Documento a ser convertido

O OCR não é uma tecnologia 100% exata, ou seja, é comum os textos podem possuir algumas falhas por mais que se use programas pagos ou não, mas o Free online OCR é um serviço que, na minha opinião, é o mais preciso nas conversões (entre os gratuitos).

O serviço possui uma limitação de um upload de 10 imagens por hora e um tamanho máximo de 2mb por imagem, mas ainda assim é um quebra-galho nos momentos de preguiça para digitar um texto. Para acessar o Free online OCR clique aqui.

1 comentário

26/01/2011 · 10:40

A incrível história de Nek Chand e seu Jardim da Rocha

Eis uma história incrível (e uma atração imperdível) que você pode ainda não conhecer: a do Jardim da Rocha de Chandigarh, Índia. O Jardim da Rocha é um parque de 40 hectares repleto de praças, cachoeiras e milhares de peças únicas feitas de materiais reciclados.

É uma visão realmente impressionante. Quem criou tudo isso – durante quatro décadas e mais anos em segredo – foi Nek Chand.

Em 1958, Nek Chand era inspetor rodoviário do Departamento de Obras Públicas, e estava fazendo jangadas e barcos a vela para navegação no recém-criado lago Sukhna. Porém, as autoridades logo colocaram barcos disponíveis para aluguel no local, e seu talento foi proibido.

Assim, Nek pode dedicar mais tempo de sua vida à sua paixão por rochas e pedras, e começou a juntá-las próximo a colina Shivalik e os rios Cho Sukhna, Rao Patiala e Ghaggar.

Na mesma época, o arquiteto suíço Le Corbusier foi convidado para projetar a cidade de Chandigarh, a primeira cidade planejada da Índia, e as pequenas aldeias em torno da área foram demolidas. Isso proporcionou a Nek Chand uma abundância de material que aumentou sua coleção de rochas.

Em 1965, depois de reunir uma impressionante coleção de resíduos das aldeias destruídas, Nek Chand começou a sonhar com uma criação própria. Ele havia criado uma cidade utópica de Chandigarh, e logo se perguntou se não poderia criar um mundo próprio.

Encontrou um desfiladeiro isolado, na floresta próxima à cidade, e decidiu que ali construiria seu reino mágico. No final de cada dia, Nek tinha medo que esse sonho lhe custasse o emprego, já que era um projeto ilegal.

Mas isso não o impediu de expandir o Jardim da Rocha. Fragmentos de vasos e garrafas quebrados e pedaços de tijolos e pedras naturais foram os principais ingredientes usados para criar esse mundo único, habitado por criaturas maravilhosas.

Eventualmente, Nek criou coragem para visitar M. N. Sharma, o arquiteto-chefe de Chandigarh. Não sem relutar, o arquiteto concordou em dar uma olhada no projeto de Nek. O correto para a situação seria demolir o parque, mas Sharma disse mais tarde que a admiração por aquele trabalho incrível e seu potencial criativo foi muito mais forte do que seu dever como arquiteto-chefe.

Sharma aconselhou Nek a continuar seu trabalho em segredo, até que ele pudesse convencer o mundo de que, apesar de ilegal e não autorizado, o Jardim da Rocha era uma obra que deveria ser preservada.

Demorou um ano para Sharma convencer as autoridades indianas, mas seus esforços foram recompensados. O Jardim ganhou o reconhecimento que merecia. Nek Chand recebeu autorização para ampliar seu projeto em mais 25 hectares, e o parque foi aberto ao público em 1976.

Nek trabalhou sob ameaça de prisão e demolição por 18 anos. A reciclagem era parte importante do projeto, e se tornou ainda mais depois que ele foi finalmente autorizado. Nek recolheu resíduos em hospitais, hotéis, restaurantes e continuou trabalhando no parque até poucos anos atrás.

Hoje, cerca de 5.000 pessoas de todos os cantos visitam o local a cada dia. Praticamente ele deixou de ser uma fantasia, um segredo não autorizado, para se tornar a segunda principal atração turística da Índia, depois do Taj Mahal. Se Nek acha que valeu a pena? Com certeza.

Assista os vídeos: http://www.youtube.com/watch?v=yzSqFORtogw
http://www.youtube.com/watch?v=fM5MqdyvwyM

[OddityCentral]

Deixe um comentário

25/01/2011 · 7:31

Os 100 termos de busca mais ‘perigosos’ da internet

A Symantec, responsável pelo popular Norton, divulgou no seu blog os 100 termos (em inglês) que mais conduzem a resultados maliciosos na internet através dos motores de busca, como o mais popular Google.

TOP 10 dos termos mais perigososTOP 10 dos termos mais perigosos 

A maneira com que os dados foram coletados é até simples: especialistas criaram pesquisas aleatórias e analisaram o retorno dos resultados, se era ou não conteúdo malicioso chegando assim aos 10 termos mais “perigosos” da internet.

Outro resultado interessante do estudo é que do top 100 dos termos mais “perigosos” encontrados, 74 deles estavam relacionados com nomes do domínios populares como “facebook” e “microsoft”, uma vez que os cyber-criminosos preferem levar o usuários à réplicas das páginas oficiais e, com isto, aplicar seu golpe. Afinal, muita gente faz a pesquisa pelo nome do domínio em vez de escrever o link no navegador, assim como faz o login sem olhar se o endereço é de fato o correto e do respectivo site.

Download aqui em PDF todos os dados, em inglês, do relatório que a Symantec fez. E nunca se esqueça: De nada adianta ter o melhor anti-vírus do mercado sem ter um bom-senso ao navegar.

Deixe um comentário

25/01/2011 · 7:30